Connect
To Top
Holmes Place

LA TRAVIATA · COLISEU PORTO AGEAS · 20 OUT

La traviata, Giuseppe Verdi {1813-1901} Ópera em três atos, com libreto de Francesco Maria Piave {1810-1876}

Direção Musical Michele Gamba Encenação, Cenografia e Figurinos Pier Luigi Pizzi Reposição de Encenação, Desenho de luz Massimo Gasparon

Coro Teatro Nacional de São Carlos Maestro Titular Giovanni Andreoli

Orquestra Sinfónica Portuguesa Maestrina Titular Joana Carneiro

Alexandre Dumas fils, inspirado num curto episódio autobiográfico, publica em 1848, a novela “La dame aux camélies” que, posteriormente, adapta para o palco. Em 1852, Verdi assiste emocionado em Paris à peça e, de imediato, pede ao editor Escudier que lhe envie um exemplar que Francesco Maria Piave, libretista habitual de Verdi, adapta para a ópera. Depois de Rigoletto (1851) e Il trovatore (1853), La traviata (1852) fecha a dita “trilogia popular” de Verdi. Ao contrário das duas óperas anteriores, eis agora uma trama sem herói ou vilão, onde a protagonista central, desafiando as convenções sociais do seu tempo, se distingue por uma nova forma de heroísmo, um heroísmo privado, cuja resignação e morte será o preço a pagar para salvar a honra de uma família que a exclui e a obriga a afastar-se. No dia a seguir à estreia, Verdi escreveu ao seu editor: La traviata, ontem à noite. Fiasco. Culpa minha ou dos cantores? O tempo julgará. E foi esse mesmo tempo que quis que a tragédia da frágil cortesã, Alphonsine Duplessis na vida real, Marguerite Gautier no teatro, Violetta Valéry na ópera, e Camille no cinema, só encontrasse a imortalidade na música e no canto de Verdi.

 

 

More in EVENTOS