Quando foi a última vez que se pesou no ginásio? Já olhou bem para o talão da balança? Descubra como pode melhorar a sua idade metabólica.

A maioria das balanças presentes nos ginásios tem uma série de indicadores, para além do peso, que mostram alguns valores relevantes para a nossa saúde. Um dos valores que chama a atenção é a Idade Metabólica.

O que é a idade metabólica?

Este valor é um indicador de metabolismo, que situa o nosso gasto calórico basal (Taxa Metabólica em Repouso – BMR) em relação à média da população em cada idade cronológica. Uma idade metabólica mais elevada que a sua idade cronológica, indica que o seu metabolismo basal está baixo em relação à maioria das pessoas da sua idade. 

Um metabolismo maior reflete uma capacidade de controlo do peso de forma mais eficiente, mais facilidade de perder peso e maior propensão para manter o peso baixo.

A idade metabólica varia dos 12 aos 50 anos, qualquer valor menor que 12 é apresentado como 12, assim como qualquer valor superior a 50 é apresentado como 50.

Fatores de influência

Este valor depende de vários fatores como:

– A massa muscular: este é um tecido que gasta calorias, mesmo em repouso, e quanto mais massa muscular, mais energia gastamos – maior o BMR.

– A altura: está relacionada com a massa corporal total (peso) e quanto mais pesado for o indivíduo maior o seu gasto calórico – maior o BMR.

– O género: os homens tendem a ter mais massa muscular e massa corporal total e por esta razão têm um metabolismo mais elevado. O homens têm um BMR mais elevado que as mulheres.

– A idade cronológica: à medida que envelhecemos a tendência de perder massa muscular aumenta (perdas de 5 a 10% a cada década a partir dos 30 anos), diminuindo assim o metabolismo basal. O BMR diminui com a idade.

Qual o fator que pode ser alterado?

Olhando para estes fatores, o único que podemos alterar é a Massa Muscular! Este fator depende do treino e da dieta alimentar.

A alimentação deve ser controlada de modo a promover ganhos (ou manutenção) da massa magra (músculo) sendo importante para esse efeito consultar um Nutricionista para ajustar a sua dieta às suas necessidades.

O treino deve ter uma variedade de estímulos para o músculo que permita o seu desenvolvimento e consequente alteração da composição corporal.

Para quem está a iniciar o seu processo, é importante uma Adaptação Anatómica onde se desenvolve um trabalho crucial de preparação do corpo para um trabalho consistente e seguro. Nesta fase utiliza-se cargas leves e muitas repetições de modo a melhorar a coordenação, o controlo do exercício e as estruturas (músculos, ligamentos e articulações).

Na fase seguinte desenvolve-se a Resistência Muscular onde se melhora a capacidade do músculo em produzir força e manter durante algum tempo. O objetivo desta fase será aumentar as reservas energéticas do músculo e otimizar os processos metabólicos do corpo.

A última fase será a Hipertrofia, onde as cargas de treino são mais elevadas e temos menos repetições, levando a um estímulo de crescimento muscular específico.

O tempo passado em cada uma destas fases varia com a frequência de treino e capacidade adaptativa individual.

Em caso de dúvida consulte um Técnico Especialista em Exercício Físico que lhe ajuda a planear e ajustar o seu treino aos seus objetivos e necessidades.

Paulo Quin 

Regional Master Trainer – Holmes Place

24h LIVE STATS

  • 73,168
  • 729,388
  • 19,114
error: Content is protected !!