Connect
To Top

O cobertor que acaba com a insónia

Este artigo vem mesmo a calhar nestes dias frios em que só apetece ficar no aconchego da nossa cama. Mas o foco da questão é a insónia e de como um cobertor pode ajudar a combatê-la.

 

Nos países industrializados, até um terço da população padece de um sono de fraca qualidade. Um problema abrangente, que afeta todas as faixas etárias, dos adolescentes aos mais velhos, e continua a aumentar devido aos estilos de vida mais acelerados, sobretudo nas grandes cidades. Não é, por isso, de estranhar que a falta de um sono de qualidade possa conduzir ao esgotamento, a distúrbios psicossomáticos, à dependência de substâncias viciantes e a outros problemas metabólicos ou cardiovasculares.

Este ‘cobertor’ de que vos falo e que surge aqui como um ‘método terapêutico’ eficaz, não é um simples cobertor… Os weighted blankets, nome dado aos cobertores com peso extra, chegaram e roubaram o protagonismo aos edredons de penas naturais – os mais esvoaçantes e confortáveis. A questão que se impõe é… Como é que um cobertor, com peso variável entre os quatro e os onze quilos, nos pode ajudar a dormir melhor?

O segredo parece estar na sua constituição… As bolinhas de plástico, tal como as que enchem os bonecos de peluche, divididas pelas diversas bolsas acolchoadas do cobertor, fazem com que a pressão seja distribuída de forma uniforme por todo o corpo e é precisamente essa pressão que, segundo alguns estudos sugerem, pode aliviar a ansiedade e o stresse dos que sofrem de noites agitadas ou dos que têm dificuldade em adormecer. O peso extra faz com que o cérebro liberte neurotransmissores, como serotonina e dopamina, responsáveis pelos estados de bom humor e animação, que levam a um efeito calmante.

Para obter uma boa noite de sono, os especialistas recomendam que o cobertor tenha cerca de dez por cento do peso corporal do indivíduo.

As vantagens dos cobertores pesados parecem relacionar-se com, a redução da ansiedade 
e do stresse, o tempo de sono aumenta, diminuem os movimentos durante a noite, fazendo com que a pessoa se sinta mais relaxada de manhã. Por outro lado, contribuem para 
a redução 
da toma de fármacos indutores do sono e são usados como terapia ocupacional em crianças com autismo.

Já fizeram as contas para saber com quanto peso teriam de dormir para ter uma noite tranquila?!

Visão.pt

Source link

More in LIFESTYLE