No coração da Louis Vuitton desde a sua origem, a viagem vem alimentando de forma consistente as criações olfativas da Maison. É um estado de espírito sempre pronto para se aventurar e conquistar o mundo com uma curiosidade insaciável e uma leveza de estar que abraça a descoberta – e serve de inspiração contínua para o Mestre Perfumista Jacques Cavallier Belletrud. Depois de criar uma primeira colecção de fragrâncias femininas em 2016 que foi seguida por uma oferta de fragrâncias masculinas em 2018, o perfumista dominou uma nova viagem: quatro velas aromáticas que transformam a casa noutro ambiente.

Enquanto fonte de inspiração, o movimento é o fio condutor da Maison desde os seus primeiros baús, passando pelo guarda-roupa e fragrâncias. Foi com isso em mente que Marc Newson teve o desejo de contribuir para as primeiras velas perfumadas Louis Vuitton. Feitas em cerâmica trabalhada à mão, cada recipiente tem uma forma única. Desenhadas para serem convenientemente portáteis, estas velas contam com uma pega em pele natural, o material emblemático da Maison, fixa com rebites metálicos.

Para embarcar numa viagem olfativa, a tampa dourada pode ser removida e colocada em baixo da vela, servindo de base. A cera perfumada vertida em Grasse, França, conta com um detalhe colorido: um pavio revestido com um subtil toque pigmentado, também pintado em Grasse. O acabamento branco matte da cera contrasta com o brilho da base dourada, enquanto a sensualidade da pega em pele natural complementa a promessa de calor da vela. Como lembranças de outros destinos enquanto um momento eterno da viagem, as velas em cerâmica da Louis Vuitton são desenhadas para ter um lugar em casa.

Desejando capturar a fragrância que sopra em ambientes naturais e transportá-la para o interior, Jacques Cavallier Belletrud imaginou cada uma das suas primeiras quatro velas como uma casa com janelas abertas para o mundo – ou uma brisa poética que chega e se instala no interior. Esta estação, cada uma das criações do perfumista busca inspiração nas paisagens descobertas durante uma viagem, bem como nas casas onde a fragrância das velas perdura.

A interação entre a grandeza do ar livre e a necessidade pelo conforto de casa é uma dualidade constante. Os primeiros botões de rosa do jardim a infundir a casa, o calor do sol mergulhado num véu de algodão branco, vegetação que permeia as roupas durante uma caminhada na floresta, a magia dos flocos de neve enquanto caem observada pela janela com uma chama que arde em segundo plano: estas quatro fragrâncias foram compostas como fotografias de momentos suspensos no tempo que podem ser revividos quando a vela é acesa novamente. Um furacão emocional, criado pela matéria-prima mais bela na paleta de um perfumista.

Source link

IDIOMA | SELECT LANGUAGE

Subscreva Newsletter Lifestyle

24h LIVE STATS

  • 60,062
  • 912,846
  • 17,372